Notícias

 

11 de Julho - Dia Mundial da População

“Todos contamos. Diga qual é a sua necessidade”, eis o lema do Dia Mundial da População 2010, que se assinala a 11 de Julho, sob os auspícios do UNFPA, Fundo das Nações Unidas para a População. O Censo 2010, cujo lema é “Todos contamos. Contamos com todos”, é a resposta de Cabo Verde a esse repto universal.

Para António Duarte, presidente do Instituto Nacional de Estatística, INE, “trata-se de uma feliz coincidên-cia”, porque o IV Recenseamento Geral da População e da Habitação está sendo prepa¬rado desde 2008.

O fundamental é que, assim como reco¬menda o UNFPA pelo Dia Mundial da Popu¬lação deste ano, o Censo 2010 coloca ênfase na importância de dados demográficos fiá¬veis, exactos e completos, que são determi¬nantes para a tomada de decisão e reforço da cidadania, ao mesmo tempo que vão permitir “acompanhar o desenvolvimento, avaliar e realinhar os planos e estratégias e apoiar tam¬bém na mobilização de recursos”.

As informações vão até o nível das zonas e localidades geográficas mais pequenas e incidem sobre as características do emprego, da educação, do saneamento e das condições de vida e sobre o crescimento da população, a mobilidade das pessoas entre ilhas e conce¬lhos, as estruturas etárias, os níveis de pobre-za, a urbanização e a distribuição espacial das populações.

É uma fotografia do país feita das 0 horas da noite de 15 para 16 de Junho que, segundo esse responsável, vai de encontro ao objecti¬vo das Nações Unidas, dos diferentes gover¬nos e do de Cabo Verde, em particular, em saber quantos somos, onde estamos e o que fazemos de modo a saber quanto seremos no futuro e o que vai ser preciso para garantir uma vida condigna para todos.

Para isso, é preciso contar: para poder planificar a água e os alimentos necessários para o consumo e a segurança alimentar, as salas de aula e os professores que vão preparar as novas gerações, as casas necessárias para vivermos em segurança habitacional, o lixo que produzimos e as necessidades em termos de saneamento básico.

Só contando todos ficaremos a conhe¬cer o país real, os recursos humanos de que dispõe e precisa, os empregos a criar para os nossos jovens e as crianças que nascem para preparar o melhor futuro para todas elas.

Cumprindo os Objectivos do Milénio

Dez anos após a aprovação dos (oito) Objectivos de Desenvolvimento do Mi¬lénio, ODM, Cabo Verde tem provado as suas possibilidades em cumprir os desafios propostos para 2015 e o Censo vai permi¬tir obter directamente dados sobre 11 das 48 metas estabelecidas pelos ODM, nome¬adamente sobre a alfabetização, a escolari¬zação, a paridade do género na educação, o acesso à água potável e à habitação e sobre o desemprego.

De acordo com as recomendações da Nações Unidas, o CENSO 2010 introduz al¬gumas variáveis sobre as condições de vida dos indivíduos e melhora os dados sobre a educação e a actividade económica. Uma das primeiras respostas que deverá dar é que a população de Cabo Verde, estimada à vol¬ta de 500 mil habitantes, vai diminuir, em virtude de uma redução clara da taxa de fe¬cundidade (três filhos por mulher em 2005).

Com efeito, a melhoria da saúde mater¬na (e da criança) continua a ser uma marca do país, visto que a taxa de mortalidade ma¬terna tem diminuído desde os anos 90, os¬cilando entre os 30 por 100.000, em 2003, para 36,9 por 100.000, em 2004, e 15,8 por 100.000, em 2008.

Este é o Objectivo 5 de Desenvolvimen¬to do Milénio já alcançado por Cabo Verde, que manda reduzir a taxa de mortalidade materna para 17,3°/oooo ( por cem mil), em 2015, e melhorar os partos assistidos por pessoal de saúde qualificado. No nosso caso, cerca de 97,5% das mulheres que têm filhos frequentam os serviços pré-natais. (REJOP para o UNFPA; Foto cedida pela REJOP)