Notícias

 

Director Geral da FAO Visita Cabo Verde

 

Centro MovelNações Unidas, Abril de 2010 - O Director Geral da FAO (Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação ), Dr. Jacques Diouf esteve em Cabo Verde para uma visita oficial de quatro dias. A deslocação daquele alto dirigente da FAO a Cabo Verde, realiza‐se após um ano e meio da implementação do Programa Único (One Program) das Nações Unidas em Cabo Verde e enquadra‐se no âmbito da implementação das acções de cooperação entre o Governo de Cabo Verde e Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação.

Recorde‐se que o referido programa, aprovado no quadro da reforma das Nações Unidas em curso, a FAO, numa estratégia de acção conjunta com outras agências do sistema das Nações Unidas contribui para a execução de três dos nove subprogramas já existentes, nomeadamente Graduação Económica, Crescimento Económico, Ambiente, energia, prevenção e resposta aos desastres. Para 2010, a FAO em conjunto com a UNICEF, PAM, e a OMS implementará actividades no quadro do décimo subprograma sobre Segurança Alimentar e Nutrição, ainda em fase de elaboração e aprovação.

Durante o segundo dia da sua estada em Cabo Verde, o Senhor Jacques Diouf visitou alguns dos projectos que contam com o apoio técnico e financeiro da FAO e que beneficiam cerca 600 famílias, representando mais de três mil beneficiários, a nível nacional.

No terreno, o Director Geral da FAO, pôde conhecer e estimar o impacto das intervenções junto dos beneficiários directos, avaliando os ganhos e os desafios dos projectos em curso, que têm como objectivo principal contribuir para a luta contra a pobreza e para o cumprimento dos Objectivos do Milénio para o Desenvolvimento, nomeadamente os Objectivos 1, 2 e 7 (Erradicar a pobreza extrema e a fome, Atingir o ensino básico universal e Garantir a sustentabilidade ambiental).

Jacques Diouf reconheceu a forma como o país tem gerido os recursos hídricos disponível para a agricultura, considerando que a gestão sustentável dos mesmos é a via para que para a água possa ser gerida de forma eficaz, contribuindo para melhoria de vida de várias famílias. Ao mesmo tempo garantiu que a FAO irá continuar a cooperar com o país em áreas identificados pelas autoridades nacionais, destacando a possibilidade de uma cooperação no domínio de aquacultura, como uma das intervenções que visem apoiar a o reforço das acções em cursos visando a garantia da segurança alimentar, sustentabilidade do sector das pescas, e o crescimento económico.

Durante a visita aos projectos, o Director Geral da FAO fez‐se acompanhar do Ministro do Ambiente, Desenvolvimento Rural e Recursos Marinhos, da Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, do Representante da Fao em Cabo Verde, de técnicos e especialistas do Ministério do Ambiente e da FAO e de representantes do Ministério dos Negócios Estrangeiros.

História em primeira pessoa

Para um mundo globalizado: uma agricultura moderna

Centro Movel

Eu realizei o meu sonho. Gostaria que outros agricultores se inspirassem em nós para que possam realizar também os seus sonhos. É possível. Com o apoio da FAO e do Ministério do Ambiente, praticamos aqui uma agricultura moderna, sustentável e com rendimentos para mim e para a minha família, afirma Otilio.

Otilio Semedo, jovem agricultor, beneficiário do Projecto Contribuição à Melhoria e Diversificação de sistemas de produção de produtores de Cabo VerdeSemedo, um jovem de 25 anos, residente em Pico Leao, ao contar o sucesso da sua historia com toda a convicção de ter optado pela via certa na concretização do seu sonho e para o futuro da sua família e da sua comunidade.

Certo de poder estar a contribuir da melhor forma para o desenvolvimento da localidade e, com alguma emoção, Otilio se considera um exemplo de sucesso. Garante que quer servir de exemplo para outros agricultores da zona assim como de outras localidades que pretendem apostar na via de uma agricultura moderna, para que todos possam entrar no mundo globalizado e competitivo. Antes eu não tinha esta oportunidade. Não produzia o suficiente para poder concorrer no mercado. Após a introdução do sistema de rega gota a gota e de formação, eu comecei a produzir mais e melhor e até ampliei a minha área de produção. Para aquele jovem agricultor, só com uma agricultura moderna é que se pode entrar no mercado com produtos de qualidade.

Com a implantação do sistema de rega gota‐a‐gota, os exemplos se multiplicam, os benefícios revelam‐se importantes e os resultados apontam para uma valiosa contribuição no cumprimento dos Objectivos do Milénio para o Desenvolvimento. Na localidade São Martinho Pequeno, a experiencia do horto escolar, demonstra que para além de contribuir para o Objectivo 1 “Erradicar a pobreza extrema e a fome”, o projecto cuja uma das características é a vertente educativa, com um enfoque para a questão nutricional, agrícola e ambiental, apoia para complementar a dieta nutricional das crianças contribuindo indirectamente para o cumprimento do Objectivo do Milenio 2 “Garantir a Educação primária Universal. Essa experiencia, tem tido um impacto junto da população local, que conforme a professora Ana Bernardete, não dispõe de recursos financeiros para garantir uma alimentação de qualidade para as suas crianças, mas que graças ao projecto, a escola está em condições de complementar as necessidades nutricionais dos alunos, contribuindo com isso para o sucesso escolar, pois a taxa de reprovação e de abandono escolar são nulas, devido em parte à existência de uma alimentação variada e equilibrada que é oferecida todos os dias às crianças.

Com o apoio do projecto Telefood, a referida escola gere o horto de forma sustentável, vendendo o excedente da produção, para garantir a introdução de outros nutriente e ingredientes na dieta alimentar dos alunos.