Notícias

 

Campanha integrada de vacinação e registo à nascença coloca a criança no topo da agenda nacional

 

vacina polioAtravés de uma estreita cooperação com as Nações Unidas, Cabo Verde pretende vacinar 62,000 crianças menores de cinco anos contra a poliomielite, no decorrer da campanha de uma campanha sincronizada que decorre, em duas fazes, na Região da África Central e Ocidental.

Este ano, pela primeira vez em Cabo Verde e na historia da cooperação das Nações Unidas com o país, optou-se pela realização de uma campanha integrada que engloba para além da vacina contra a polio, outros aspectos como o inquérito de cobertura vacinal, o registo de nascimento, a recolha de dados sobre a educação das meninas assim como dados sobre a situação sanitária das famílias.

Com a participação do UNICEF, WHO, UNFPA, e através de uma acção conjunta e integrada, esta abordagem demonstrou que cada vez mais se impõe uma intervenção a favor da promoção e realização dos direitos da criança de uma forma holística, intervindo em acções que visem garantir a sua sobrevivência e o seu pleno desenvolvimento de uma forma sustentável.

Assim, a través da execução do Programa Único, as Nações Unidas tem reforçado o seu papel e a sua voz influenciando programas e politicas a favor da criança e do adolescente, optimizando os recursos disponibilizados pelas diferentes agências. Por exemplo, este projecto integrado veio provar que com a mesma equipa no terreno é possível  vacinar, registar, identificar a as crianças fora do sistema de ensino e diagnosticar o meio em que vivem.

presidir o acto considerou que o sucesso da campanha só será possível se as famílias, ao lado do Estado, assumirem as suas responsabilidades com os/as seus filhos/as e perceberem que a vacinação, o registo, a educação e outros aspectos relacionados com o bem estar das crianças estão directamente relacionados com a realização dos seus direitos enquanto cidadãos. Para isso, as famílias deverão ter consciência dos seus deveres e poderem assim garantir um futuro das suas crianças.

 

Por seu lado, a Coordenadora Residente das Nações Unidas em Cabo Verde, Sra. Petra Lantz, falando em nome do UNICEF e da OMS sublinhou que, Cabo Verde está a mostrar uma vez mais, que está na vanguarda na promoção dos direitos, na protecção das crianças e respondendo assim às necessidades da sua população, mostrando-se convicta de que toda a mãe e todo o pai irão querer vacinar as suas filhas e os seus filhos, por as vacinas representarem uma grande protecção contra as doenças da infância, sobretudo no período delicado que decorre dos zero aos 5 anos de idade, contribuindo enormemente para a sobrevivência nesta faixa etária.

 

O objectivo desta integração é, optimizando os recursos financeiros e humanos, promover o registo de crianças e, na medida do possível proceder ao pré-registo in loco, sensibilizar as famílias e a população sobre os direitos das crianças. Uma vez que a campanha decorre porta a aporta, pretende-se para além disso, recolher informações e dados da educação, nomeadamente das meninas, assim como conhecer melhor os dados relativamente à situação sanitária das famílias, visando uma intervenção adequada na prevenção e combate à dengue.

A campanha de registo de nascimento abarcará as crianças dos 0-13 anos, sendo que os/as adolescentes com mais de 13 anos serão encaminhados/as para um processo diferente , obedecendo a um regime especial de registo. Os dados nacionais indicam que entre 38 a 40 por cento de crianças cabo-verdianas, com idade até um ano de idade, não são registadas.

No que diz respeito à poliomielite, saliente-se que há mais de cinco anos Cabo Verde não tem registado nenhum caso, nem de doença nem de falecimento. O país aderiu à recente Campanha Sincronizada de Vacinação ao mesmo tempo que 18 países da região da África Central e Ocidental, para interromper a circulação do vírus de um país a outro.

A campanha em Cabo Verde é organizada pelo Ministério da Saúde, Ministério da Justiça, Ministério  da Educação,  com o apoio técnico e financeiro do UNICEF e da OMS.