Notícias

 

Reunião para a elaboração do Segundo Relatório Mundial sobre a Situação da Segurança Rodoviária

Nações Unidas, Praia, 18 de Agosto de 2011 - O Escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) em Cabo Verde, acolheu uma jornada de trabalho com os respondentes do questionário e técnicos da OMS, com a finalidade de consensualizar o conjunto de respostas do país, a serem compiladas no Segundo Relatório Mundial sobre a Situação da Segurança Rodoviária, que vai ser publicado em 2012.

A Coordenadora Nacional dos Dados - CND, Dra. Sandra Rodrigues, Técnica Superior da Direcção Geral dos Transportes Rodoviários - DGT, começou por fazer o ponto da situação dos trabalhos realizados, tendo-se de seguida analisado e consensualizado minuciosamente todas as informações e dados preenchidos pelos sete (7) respondentes designados, pertencentes à: Direcção Geral dos Transportes Rodoviários, Polícia Nacional, Inspecção Técnica automóvel, Escola de condução, Direcção Geral da Saúde e Banco de Cabo Verde – Área de supervisão e regulação de Seguros.

A fim de assegurar que os Coordenadores Nacionais de Dados estarão prontos para o exercício da colecta de dados, a OMS/AFRO realizou um Atelier que decorreu de 25 a 26 de Maio de 2011, em Douala, Camarões, na qual Cabo Verde não pôde infelizmente participar. Para ultrapassar esta lacuna, a Organização facultou imediatamente à indigitada Coordenadora Nacional de Dados, todos os documentos da respectiva formação, tendo o Escritório da OMS em Cabo Verde organizado uma teleconferência sobre a temática, em que participaram: o Dr. Ekeke Monono Martin, TO/VI, da OMS/AFRO, a Dra. Sandra Rodrigues, CND/Cabo Verde, e a Dra. Vera Andrade EPI, e o Sr. Justiniano Mendonça, HIP, ambos do Escritório da OMS.

A formação de Douala visou os seguintes: i) fazer uma revisão dos objectivos e da metodologia do segundo relatório mundial sobre o estado da segurança rodoviária, ii) dar uma ideia geral sobre o Decénio de acção para a segurança rodoviária, e iii) acordar um roteiro para a fase de colecta de dados.

O Representante da OMS, Dr. Barrysson, numa breve intervenção no final da jornada de trabalho, felicitou o engajamento dos respondentes dos questionários, realçou o facto dos acidentes rodoviários constituírem um verdadeiro problema de saúde pública que não cabe apenas ao Ministério da Saúde e à OMS. Realçou que os dados recolhidos também vão permitir a elaboração de um Plano de Acção Nacional, com a finalidade de reduzir os riscos e acidentes nas estradas.

Depois da validação final do documento pela Ministra da Administração Interna, Dra. Marisa Morais, que está em curso neste momento, os passos seguintes serão: a elaboração do plano e um eventual apoio técnico da OMS.

De realçar também a importância dessas informações no próximo « Observatório da saúde » a fim de permitir a tomada de decisões estratégicas referentes, com vista ao melhoramento da saúde do povo cabo-verdiano.

Recordamos que, no quadro das actividades de Prevenção dos Traumatismos devidos aos acidentes rodoviários, a OMS produziu em 2008 um Relatório mundial sobre a segurança rodoviária. Este exercício começou com a colecta de dados em 2007. O próximo relatório, que está a ser preparado agora, será publicado em 2012 com os seguintes objectivos:

• Avaliar o estado da segurança rodoviária nos Estados Membros, segundo a implementação de uma série de indicadores chaves e utilizando uma metodologia estandardizada,
• Mostrar as falhas em matéria de segurança rodoviária a nível nacional e também identificar as principais prioridades de intervenção,
• Servir como ferramenta de seguimento para o Decénio de Acção para a Segurança Rodoviária a nível Nacional e Internacional.

O Decénio de Acção para a Segurança Rodoviária 2010 - 2020, adoptado pela resolução (A/64/L.44/Rev.1) das Nações Unidas, foi uma decisão histórica tomada pelos Governos de todo o mundo, a fim de se intensificarem as medidas para combater a crise da segurança rodoviária nos próximos 10 anos.

O objectivo consiste em interromper ou inverter a tendência crescente das mortes por acidentes rodoviários em todo o mundo e reduzir as incapacidades físicas decorrentes dos acidentes de viação, intensificando as medidas a nível nacional.

Segundo a OMS, os traumatismos por Acidentes Rodoviários constituem um importante problema para a saúde pública e para o desenvolvimento em todo o mundo, mas particularmente grave na Região Africana. Anualmente morrem cerca de 1,3 milhões de pessoas nas estradas do mundo e entre 20 a 50 milhões sofrem ferimentos não fatais. Mais de 90% das mortes nas estradas ocorrem em países de baixos e médios rendimentos, onde se encontram apenas 48% dos veículos registados a nível mundial. Prevê-se que, na ausência de esforços redobrados e de novas iniciativas, o número total das mortes e traumatismos por acidentes rodoviários em todo o mundo aumentará cerca de 64% entre 2000 e 2020, causando anualmente 2,4 milhões de mortes. Nos países de baixos e médios rendimentos, prevê-se que as mortes aumentem na ordem dos 80%. Na Região Africana, os traumatismos por acidentes rodoviários são a quarta maior causa de morte nas pessoas com idades entre os 5 e os 44 anos.

Os custos económicos e sociais das lesões devidas a acidentes rodoviários são enormes. Na Região Africana, a estimativa do seu custo económico situa-se entre 1-2.0% do produto interno bruto (PIB).

Share |