Notícias

Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde entrega Prémio Direitos Humanos na categoria “Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz” atribuído ao Projecto Sementi”

 

Nações Unidas, Praia, 11 de Dezembro de 2013 - 10 de Dezembro de 2013 - Dia Internacional dos Direitos Humanos - Este ano o dia assinala-se sob o lema “20 anos a trabalhar pelos seus direitos”, e no quadro desta celebração,a Comissão Nacional para os Direitos Humanos e a Cidadania (CNDHC) realizou a gala de entrega do Prémio Nacional Direitos Humanos 2013.

O Prémio Nacional Direitos Humanos, que tem uma periodicidade bienal, foi instituído em 2007, e tem como objectivo distinguir instituições e personalidades que, com as suas acções, conduta ou actividade têm contribuído para a promoção, estudo e defesa dos Direitos Humanos e da Cidadania em Cabo Verde.

No evento que decorreu no Salão de Banquetes da Assembleia Nacional, a Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde, Ulrika Richardson Golinski, entregou o prémio na categoria Combate a Violencia e Promoção da Cultura da Paz, sublinha na altura que apesar dos grandes ganhos obtidos ao logo dos tempos, em matéria de direitos humanos, o mundo vive ainda situações dramáticas de violação de direitos humanos. “A Amnistia Internacional tem chamado a atenção do mundo para violações constantes e graves dos direitos humanos em 141 dos 185 membros das Nações Unidas, com destaque para violência contra as mulheres e crianças”. A Coordenadora Residente do Sistema das Nações Unidas em Cabo Verde encerrou o seu discurso citando uma frase de Nelson Mandela, falecido no dia  5 de Dezembro que encerra o principio de que todo o ser humano tem o dever de viver de forma a respeitar e a proteger a liberdade dos outros.

Para a Presidente da CNDHC, Zelinda Cohen,   duas décadas depois da conferencia mundial de Direitos Humanos celebrado em Viena em 1993,  no que diz respeito a Cabo Verde, pode -se verificar o claro alinhamento das acções para as  orientações saídas desta conferencia , tanto a nível conceptual como operacional.
Por seu lado, o  Ministro da Justiça, José Carlos Correia, frisou que ainda é necessário estimular o trabalho em prol da realização dos direitos humanos em Cabo Verde, para que estes direitos sejam promovidos e salvaguardados, apesar de reconhecer os ganhos alcançados pelo país nesse domínio.
O premio abrange cinco categorias: “Personalidade” que atribuído a Honório da Costa J. Fragata fundador da Tenda “EL- SHADDAI”; “Estudos Científicos” atribuído a Irene Santos Da Cruz com a dissertação de mestrado intitulada “ Filosofia da emigração. Cosmopolitismo vs. Comunitarismo” onde também foi distinguido com uma Menção Honrosa Carlos Tavares com uma dissertação de mestrado intitulada “Democracia participativa, cidadania e planeamento do território”; “ONG” atribuído à Fundação  Infância Feliz, com uma Menção Honrosa à Associação Laço Branco; “Combate à Violência e Promoção da Cultura da Paz” atribuído ao Projecto Sementi, que contou também com uma Menção Honrosa a Vanilson Gonçalves pelo seu trabalho de intervenção no bairro de Achada Grande Frente na cidade da Praia; enquanto na categoria “Associações Comunitárias” , nesta edição não foi atribuído nenhum premio.

Os vencedores foram contemplados com  uma escultura denominada “Pomba Crioula”, da autoria do artista plástico cabo-verdiano Leão Lopes, uma quantia em dinheiro e um diploma de qualificação.

 

Mensagem do SG da ONU

 

 

 

 

 


Share |