Notícias

 

Educação em situação de emergência - Capacitação e informação do sector da educação sobre a redução de riscos de catástrofes poderá contribuir para minimizar as consequências na vida das crianças e suas famílias

O aumento de situações de emergência um pouco por todo o mundo, associado a vários factores como as guerras, as crises económicas, as epidemias, as mudanças climáticas e outros de carácter natural, tem sido uma realidade, sobre a qual os governos, as Nacoes Unidas, o sector privado e a sociedade civil se têm debruçado e preparado um conjunto de medidas estratégicas para garantir a segurança das pessoas, particularmente das mais vulnereis, e o bem estar colectivo.

Assim, no âmbito do programa prevenção de desastres naturais e visando reforçar capacidade de planificação e o nível de preparação do sector educacional em situações de emergência, o Escritório das Nações Unidas em Cabo Verde e o Ministério de Educação em estreita parceira com o Escritório Regional do UNICEF para a África Central e Ocidental, organizam de 26-29 de Outubro uma formação de formadores sobre "A Educação em Situação de Emergência" dirigido a representantes do Ministério da educação, serviço de protecção civil, ONG e quadros das Nações Unidas.

Esta formação tem como objectivo dotar os participantes de conhecimentos teóricos e práticos sobre a componente de educação em situações de emergência através de uma abordagem interactiva e participativa, a fim de estarem preparados para trabalhar numa situação de emergência e garantir às crianças o exercício dos seus direitos à educação.

Para alem dos objectivos definidos, esta acção irá ainda contribuir para o reforço da interligação multissectorial do país, em concertação com o Serviço Nacional da Protecção Civil, para a melhor preparação para antecipar os riscos e melhor responder em situações de urgência. Em causa está a protecção da criança e dos jovens, publico a quase 100% absorvido pelo sector da educação, no caso de Cabo Verde, portanto um sector privilegiado para uma resposta ampla, rápida e concertada. Por isso, considera-se que a escola tem um papel de disseminador das informações e faze-las chegar ao publico escolar e respectivas famílias. Mas será também uma ocasião para promover uma análise sobre a organização do sector em caso de calamidades ou emergências que ponham em causa a manutenção do sistema educativo e da continuidade do ensino, mesmo que temporariamente.

Na cerimónia de abertura, onde estiverem representantes do Ministério da Educação e da Protecção Civil, a Senhora Narjess Saidane, em representação do UNICEF Cabo Verde e das outras agencias das Nacoes Unidas ligadas à Educação implicadas, ao referir-se sobre a importância da referida formação, afirmou que vários exemplos de outros países têm demonstrado que as crianças que receberam informações específicas sobre a redução dos riscos naturais estão melhores preparadas para enfrentar as dificuldades e desempenham um papel positivo na protecção das suas vidas e das sua comunidades.

Uma vez que as crianças e jovens fazem parte do grupo populacional mais vulnerável, a componente formação em emergências para o sector educacional contribui para o seu empoderamento e consequentemente para a sua habilitação para a adopção de atitudes, praticas e comportamentos antes e depois de um desastre, minimizando assim os efeitos nefastos que uma situação de emergência pode causar, tanto a nível físico como psicológico.

Assim, reconhece-se o papel preponderante das escolas neste processo, que para além dos conhecimentos convencionais, elas podem e devem contribuir para disseminar informações que contribuem para a redução dos riscos e consequências dos desastres. A integração de módulos de redução de riscos nos curricula do ensino primário e secundário, ira contribuir para o aumento da percepção da criança e adolescente sobre o seu papel nas respostas às emergências.

De acordo com Narjess Saidane, Cabo Verde definiu no seu plano de contingência um conjunto de riscos, sendo que uns poderão ocorrer com mais frequência o que outros , daí a necessidade imperativa de se preparar a sociedade civil e em particular as crianças em como agir em situações de emergências. É neste contexto que surge esta formação de formadores que ira lançar as bases para o alargamento , a prazo, dos conhecimentos teóricos e práticos a todos os professores do país.

A referida formação comporta de entre outros os seguintes temas: i) a fundamentação lógica para uma disciplina especifica de Educação em Emergência como resposta humanitária primária; ii) Quadro para a Educação em emergência, incluindo normas, componentes técnicos e acções a serem tomadas; e iii) sector da educação e os mecanismos de coordenação existentes em Cabo Verde para a prevenção e respostas às emergências.

No final da formação, deverão seleccionados os pontos focais para a Educação em Situação de Emergência e a estratégia de multiplicação para todos os professores e demais actores do sector da Educação . O participantes deverão definir um plano de acção para a implementação das actividades de capacitação a nível descentralizado. Durante a sua intervenção, o Director Geral do Planeamento, Orçamento e Gestão do Ministério da Educação e Desporto, Dr. Pedro Brito, destacou o engajamento do seu Ministério e afirmou o interesse que o Ministério ira acordar aos planos de trabalho que sairão dessa formação de formadores na óptica da sua multiplicação para uma melhor preparação do sector e para que todos os actores desempenhem o seu papel.

Share |