Notícias

 

22 de Março - Dia Mundial da Agua

"Sem água não há dignidade e nem escape à pobreza" - Ban Ki-moon

Instituído pelas Nações Unidas, a celebração do Dia Mundial da Agua, constitui um momento de reflexão e debate sobre questões relacionadas como a sua disponibilidade a nível global e local, a sua gestão e acesso e a sua preservação , entre outros.

Este ano, a efeméride foi comemorada sob o lema "Agua para as cidades: respondendo ao desafios do urbano " e serviu de ponto de analise para uma reflexão sobre a importância da água enquanto desafio fundamental para o futuro e particularmente, no meio urbano. De acordo com dados disponíveis, em menos de uma geração, sessenta por cento da população mundial estará vivendo em cidades e a grande maioria desde crescimento acontece em zonas periféricas e pobres das cidades de países em desenvolvimento.

Em Cabo Verde, para assinalar o dia, foram realizadas, numa parceria entre o Instituto Nacional do Recursos Hídricos e o PNUD, varias actividades desde uma mesa redonda intitulada Agua e Sustentabilidade - cidades do futuro, às manifestações culturais e exposições.

Na cerimónia de abertura da mesa redonda, a Representante do PNUD a.i, Senhora Narjess Saidane, cintando o Secretario Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, que afirma que "Sem água não há dignidade e nem escape à pobreza", considerou que muitos são os países que ainda têm um longo caminho a percorrer para alcançarem as metas dos objectivos de desenvolvimento do milénio no domino da água e saneamento e que é nos centros urbanos onde os problemas vêm se agravando, ultrapassando, em muitos casos, as capacidades dos países de construir soluções sustentáveis.

Os dados da última década revelam que, o número de habitantes dos centros urbanos que não têm acesso a uma torneira de água em suas casas ou nas imediações, aumentou para um valor estimado em cento e catorze milhões, e o número daqueles que não têm acesso a instalações sanitárias básicas aumentou para cento e trinta e quatro milhões. A Representante a.i do PNUD, sublinhou na ocasião que isto representa um aumento de vinte por cento, cujo impacto é extremamente negativo na saúde humana. São mais de oitocentos milhões de pessoas que, num mundo de abundância, ainda não têm água potável ou saneamento, realçou a Senhora Narjess Saidane, apelando para se continuar o trabalho para uma maior consciencialização sobre as vulnerabilidades e os riscos associados à qualidade, quantidade e ao acesso à água e garantir um aumento do investimento per capita na água e no saneamento.

Ainda, na mesa redonda, que teve como objectivo fomentar uma discussão sobre o consumo, as acções e medidas que podem ser tomadas para a preservação da água de, a Ministra do Ambiente, da Habitação e de Ordenamento do Território, Dra Sara Lopes, fez um apelo ao uso racional e sustentável do " único elo que liga todos os seres vivos do planeta - a água", considerando que para alem dos investimentos para as politicas publicas em matéria de agua, dos investimentos públicos , é de extrema importância trabalhar a consciência das pessoas, mostrando-lhes que a agua é verdadeiramente um bem escasso.

Share |