Notícias

 

Novo guia ajuda países em desenvolvimento a optimizar acesso a financiamento para programas ligados às mudanças climáticas

Nova Iorque, 14 de Setembro de 2011 — O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) lançou hoje um guia com o objectivo de apoiar decisores de países em desenvolvimento a optimizar o uso dos milhões prometidos para as questões das mudanças climáticas.

O guia em inglês chamado "Blending Climate Finance through National Climate Funds" baseia-se na experiência do PNUD na criação, gestão e aconselhamento de 750 fundos e na prestação de serviços para mais de US$5 bilhões em donativos de múltiplos doadores. O guia mostra o passo a passo da criação de fundos para o clima e é um recurso fundamental para tomadores de decisão, economistas, investidores e doadores envolvidos nas respostas nacionais à mudança climática.

"Estamos a fornecer aos governos uma receita de como aceder a mais fundos e como melhorar a gestão de actividades relacionadas com as mudanças climáticas," disse Olav Kjornev, Administrador-Adjunto e Director para Políticas de Desenvolvimento do PNUD. "Este guia pode alterar fundamentalmente a forma como os governos planeiam, financiam e distribuem nas suas políticas climáticas."

Mais de 50 fundos públicos internacionais, 45 mercados do carbono e mais de 6.000 fundos de capital privado fornecem milhões de dólares para acções de mudanças climáticas a nível nacional. Entre 2009 e 2010, os investimentos no sector das energias limpas cresceu 30% a nível mundial, registando um recorde de 243 mil milhões de dólares americanos.

No entanto, apenas cerca de um décimo destes investimentos foi usado fora dos países membros do grupo G20, em zonas do mundo altamente vulneráveis a mudanças nos padrões climáticos, como os Países Menos Desenvolvidos e os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento.

Os desafios para os países em desenvolvimento que pretendem tomar acções no financiamento climático incluem a colheita de fundos de centenas de fontes, a coordenação de actividades financiadas por eles e os relatórios dos resultados.

Outro desafio é que a responsabilidade pelo financiamento e planeamento climático em vários governos de países em desenvolvimento está frequentemente distribuída por vários ministérios. A criação de um fundo nacional climático com objectivos, recursos e padrões claramente definidos—bem como a monitorização—ajudam a enfrentar estes desafios.

"Através de fundos climáticos nacionais, os países podem aceder a mais financiamento e acelerar a sua resposta às mudanças climáticas," disse Olav Jkorven. "Isto poderá ser uma grande contribuição para estabelecer um caminho mais limpo, justo e sustentável para o mundo."

Exemplos de fundos climáticos nacionais com sucesso no Bangladesh, Brasil, China, Indonésia e outros países são destacados no guia. O guia faz parte de uma série de manuais práticos, guias e ferramentas destinadas a auxiliar países na transição para um desenvolvimento verde, isto é, de baixa emissão e resistente aos problemas climáticos, disponíveis em ingles no sítio www.undp.org/climatestrategies.

Saiba mais sobre fundos nacionais climáticos no guia: Blending Climate Finance through National Climate Funds: A Guidebook for the Design and Establishment of National Funds to Achieve Climate Change Priorities

Para mais informações, contacte: Stanislav Saling em +1 212 906 5296 ou stanislav.saling@undp.org.

Share |