Notícias

 

Centro de energias renováveis para a África Ocidental apoiado pela ONU abre em Cabo Verde

 

Nações Unidas, Praia, 6 de Julho - O Centro Regional para as Energias Renováveis e a Eficiência Energética (CEREE), foi inaugurado esta manhã na Cidade da Praia, pela Ministra do Turismo, Industria e Energia, Dra. Fátima Fialho e pelo Presidente da Comissão da CEDEAO, Sr. James Victor Gbeho, numa cerimonia que reuniu representantes de varias instituições nacionais, Internacionais e do corpo Diplomático acreditado no país destinado.


Com o objectivo de ajudar a desenvolver o potencial de energias renováveis da África Ocidental, o referido centro, organismo especializado da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, é apoiado pela Organização das Nações Unidas para o desenvolvimento Industrial (UNIDO), contando ainda com as parcerias dos Governo da Áustria, Cabo Verde e da Espanha.


De entre as suas funções, o novo centro promoverá o desenvolvimento dos mercados das energias renováveis e da eficiência energética na África Ocidental, a formulação políticas, e o reforço das capacidades para além de criar mecanismos de garantia de qualidade, assim como a elaboração planos de financiamento. Irá igualmente executar projectos de demonstração susceptíveis de ser ampliados à escala regional.


"Os sistemas energéticos que existem actualmente na região da CEDEAO não estão a conseguir apoiar as perspectivas de crescimento dos mais de 262 milhões de habitantes, especialmente as necessidades dos pobres. A criação do CEREE representa um marco fundamental nos esforços para acelerar a implantação de serviços e tecnologias baseados nas energias renováveis e na eficiência energética", disse Yoshiteru Uramoto, assessor do Director-Geral da UNIDO.


"Investir em sistemas de energias renováveis e introduzir tecnologias assentes na eficiência energética contribuirá para o desenvolvimento económico e social da região, sem prejudicar o ambiente", acrescentou.


Calcula-se que um total de 23 000 megawatts de potencial de produção de energia hidroeléctrica em pequena e grande escala estejam concentrados em cinco Estados-Membros da CEDEAO, e apenas 16% desse potencial está a ser explorado.


A biomassa tradicional já é a principal fonte de energia da maioria pobre e representa 80% da energia total consumida para fins domésticos. Também existem recursos consideráveis em termos de energia eólica, energia das marés, energia térmica dos oceanos e energia das ondas. O potencial de energia solar da região é enorme.

A UNIDO está a realizar uma série de projectos, em África, em que fontes de energias renováveis – sistemas hidroenergéticos de pequena dimensão, gaseificação de biomassa, energia eólica, energia solar térmica e fotovoltaica – são utilizadas para promover o desenvolvimento de pequenas indústrias, especialmente nas zonas rurais, indústrias essas que contribuem para o crescimento e a redução da pobreza.


Aquele organismo também criou um programa energético para 18 países da África Ocidental, incluindo todos os Estados-Membros da CEDEAO, financiado pelo Fundo Mundial para o Ambiente. O ECREE irá tornar-se o principal organismo de execução do programa, que tem um orçamento de 150 milhões de dólares que irá concentrar nas prioridades relativas ao acesso à energia e na eficiência energética em sectores fundamentais da economia. Fonte: Centro de Notícias da ONU 6/07/2010