Notícias

 

Aquacultura em Cabo Verde - FAO e INDP socializam o Quadro Estratégico para a implementação e desenvolvimento da Aquacultura no país

No quadro do processo de criação de alternativas sustentáveis para o sector das pescas e valorização dos produtos das pescas, o desenvolvimento da aquacultura aparece como uma necessidade e um desafio para Cabo Verde.

Consciente dessa constatação e dos benefícios que poderão advir dessa actividade, a FAO, através da disponibilização de assistência técnica e de recursos financeiros, tem vindo a apoiar o Governo nos seus esforços para a implementação e desenvolvimento da aquacultura no país, visando criar condições de prevenção e adaptação ao problema da escassez de recursos naturais e empobrecimento da biodiversidade. É de realçar igualmente, os benefícios preconizados com tal empreendimento, como a promoção de alterações de comportamentos nos consumidores em termos de qualidade alimentar, bem como a criação de novas oportunidades de negócio na área das pescas, contribuindo, por outro lado, para a redução da pobreza e consequentemente para o cumprimento do Objectivo de Desenvolvimento do Milénio 1, Reduzir a Extrema Pobreza e a Fome.

Para a concretização desse projecto, considerado pelo Governo, como uma das prioridades no sector, vários têm sido os parceiros internacionais a responderem positivamente capacitando o país nesse domínio. Nesta óptica foi criada uma equipa multidisciplinar, constituída por técnicos da FAO e do INDP e por um consultor da FAO, tendo como objectivo principal o de elaborar um quadro estratégico de desenvolvimento da aquacultura em Cabo Verde, que identificasse alguns caminhos para um desenvolvimento durável da aquacultura, permitindo assim alcançar os objectivos preconizados, colocando em relevo os aspectos relativos à durabilidade económica, financeira, social e ambiental.

Este projecto visa a médio e longo prazo a criação de emprego e a melhoria de vida das populações, principalmente as residentes em zonas costeiras, o aumento das exportações e a diminuição das importações, satisfazer a demanda dos produtos do mar com maiores valores comerciais como o camarão e a lagosta, contribuir para a diminuição da escassez das iscas e evitar a captura de peixes ainda em fase de crescimento e aumentar a captura do atum.

Assim, considerando a importância atribuída a esse sector , a Representação da FAO em Cabo Verde e o INDP organizam em Mindelo no dia 16 de Setembro de 2010, um Atelier de "Socialização e Validação do Quadro Estratégico de Aquacultura em Cabo Verde".

O encontro tem como objectivo restituir e validar o documento elaborado neste quadro pela FAO e uma equipa técnica do INDP, em plena colaboração com o sector privado e outras instituições nacionais parceiras como Direcção Geral da Planificação, Orçamento e Gestão (DGPOG), Direcção Geral das Pescas (DGP), Direcção Geral do Ambiente (DGA), Associações de pescadores e ONG´s.

Share |